“MCMI–1901” AS MOEDAS ESQUECIDAS – Tudo sobre a única moeda do Brasil com ano cunhado em algarismo romano.

Em 1901 o Brasil era totalmente diferente daquilo que você vê hoje em dia. A república era recém criada e chegava ao seu 12º ano, tendo como Presidente do Brasil Manuel Ferraz de Campos Sales ou simplesmente Campos Sales, 3º presidente do Brasil, desde 15 de novembro de 1898 e permanecendo no mandato até 15 de novembro de 1902. Campos Sales foi Bacharel em direito pela Faculdade de Direito de São Paulo e ingressou logo após se formar, no Partido Liberal. A seguir, participou da criação do Partido Republicano Paulista (PRP), em 1873, sendo, portanto, um republicano histórico. Foi deputado provincial de 1867 a 1871, vereador (1872), novamente deputado provincial (1881), deputado geral, (hoje nomenclatura para deputado federal), de 1885 a 1888, e deputado provincial (1889), sempre pelo PRP. Foi um dos três únicos republicanos a serem eleitos deputados gerais durante o Império do Brasil. Seu Vice-presidente era Francisco de Assis Rosa e Silva, o vice de Campos Sales era um político de sucesso na época, pois já havia sido deputado federal, ministro da Fazenda do Governo Artur Bernardes, ministro do Supremo Tribunal Federal e diretor do Jornal do Brasil.

Logo no início do ano, mais precisamente no dia 1 de março o Brasil teria uma grande notícia para comemorar, pois Alberto Santos Dumont voava em seu dirigível N-6 em Paris e ganhava o Prêmio Deutsch. O prêmio oferecia ao vencedor cerca de cem mil francos, e era patrocinado por Henri Deutsch. A empreitada para receber o prêmio consistia em construir a primeira máquina aérea capaz de realizar uma viagem de ida e volta do Parc de Saint-Cloud até a Torre Eiffel em Paris e retornar em menos de trinta minutos. O prêmio esteve disponível de 1 de maio de 1900 até 1 de outubro de 1903.

O ano foi passando e não podemos esquecer das moedas MCMI-1901, que são o objeto deste artigo, pois elas também marcaram época, mas isso é um tema que veremos ainda mais adiante. Mas voltando aos acontecimentos de 1901, o Brasil via nascer no Rio de Janeiro, no dia 7 de novembro a ainda anônima Cecília Benevides de Carvalho Meireles ou simplesmente Cecília Meireles, jornalista, pintora, poeta, escritora e professora brasileira. Um nome canônico do modernismo brasileiro, uma das grandes poetas da língua portuguesa e amplamente considerada a melhor poeta do Brasil, embora tenha combatido a palavra poetisa por causa da discriminação sofrida pelas mulheres na época. Cecília Meireles faleceu no Rio de Janeiro, no dia 9 de novembro de 1964.

O país também sofria com a crise econômica reflexo das varias crises passadas desde a queda do império e a implantação da república, sendo a principal delas a crise do encilhamento ocorrida entre  1889 e 1894.

Agora que você já tem um panorama geral do ano de 1901, é hora de iniciarmos nosso artigo sobre as belíssimas moedas MCMI ou 1901. Elas circularam bastante, a tiragem foi altíssima, milhões foram vandalizadas de todas as formas e outros tantos milhões possuem hoje um disco tão liso e desgastado que não podemos nem mesmo identificar os detalhes da moeda. Estamos falando da série de moedas de réis cunhadas para circular em 1901. Esta, foi a única série de moedas com ano de cunhagem em algarismo romano. As moedas foram cunhadas com valor facial de 400, 200 e 100 réis, todas em cupro-níquel e posteriormente esquecidas por boa parte dos colecionadores.

A quantidade cunhada impressiona, as moedas de 400 réis tiveram 26.250.000 peças cunhadas, enquanto as moedas de 200 réis tiveram 60 milhões de peças fabricadas, e fechando a série com impressionantes 75 milhões de peças cunhadas, está a moeda de 100 réis.

Não é incomum vermos publicações alegando que as moedas em questão são raríssimas. Mas o que há de verdade nesta afirmação? Para ser bem direto, as moedas desta série passaram ao longo dos anos por uma alta em sua procura. Colecionadores de todo Brasil sempre procuram as melhores peças para suas coleções, portanto, encontrar as moedas da série em estado soberbo ou Flor de Cunho, tem sido uma missão complicada, mas não impossível. Lembre-se que isso não torna a moeda tão rara ao ponto de te deixar rico.

Para que possamos chegar ao ponto esclarecedor sobre raridade e valor de mercado, precisamos conhecer um pouco mais sobre as peças desta série. 

PRODUÇÃO INTERNACIONAL – Pouco foi falado ou estudado sobre essas moedas nos últimos anos, mas sabe-se que as moedas foram encomendadas pelo Governo brasileiro à firma Basse & Selve, da Alemanha, que contratou serviços de outras Casas estrangeiras (Alemanha, Inglaterra, Áustria, França e Bélgica), para que pudesse dar conta do volumoso pedido.

PRODUÇÃO NO BRASIL - Mas nem toda a demanda ficou para a indústria internacional, no Brasil foram produzidas 5.531.000 moeda de 400 réis, 12.625.000 de moedas com o valor facial de 200 réis e 15.775.000 moedas de 100 réis, todas produzidas em território nacional pela Casa da Moeda no Rio de Janeiro. No fim das contas, a Casa da Moeda do Brasil produziu 33.931.000 de moedas para distribuir ao meio circulante até a entrega da produção internacional que era responsável por 127.319.000 das moedas restantes.

Foram cunhadas no total, 161.250.000 peças, a maior produção de moedas do mundo na época, e como já abordamos aqui, está é a única moeda brasileira em que a data está em algarismo romano (MCMI).

DETALHES DAS MOEDAS - Além dos já mencionados valores faciais de 100, 200 e 400 Réis, em seu anverso observamos também as Armas Nacionais sobre ramos de café e abaixo do valor facial, circundados pela inscrição "REPUBLICA DOS ESTADOS UNIDOS DO *BRASIL*", Abaixo das armas, a era em algarismo romano (MCMI), e próximo à orla, um colar de pérolas. No reverso a representação feminina da República e a liberdade, com tiara inscrita e visível com a inscrição "LIBERTAS", circundada por um anel com 21 estrelas e, mais próximo à orla, um colar de pérolas.

400 RÉIS

País: Brasil

Denominação: 400 réis

Ano: 1901 - MCMI

Período: Réis da república (1889 - 1942)

Tipo de moeda: Circulação normal

Composição: Cupro-Níquel

Tipo de bordo: Liso

Alinhamento: Moeda (180°)

Peso: 11.7gr*

Diâmetro: 30mm*

Espessura: 2mm 

CURIOSIDADE NA MOEDA DE 400 RÉIS - A peça de 400 réis poderá variar de 30 a 32 milímetros de diâmetro. O peso também possui uma variação entre 11,6 e 12,6 gramas.

200 RÉIS

País: Brasil

Denominação: 200 réis

Ano: 1901 - MCMI

Período: Réis da república (1889 - 1942)

Tipo de moeda:  Circulação normal

Composição: Cupro-Níquel

Tipo de bordo: Liso

Alinhamento: Moeda (180°)

Peso: 8.02gr

Diâmetro: 25mm

Espessura: 2mm

100 RÉIS

País: Brasil

Denominação: 100 reis

Ano: 1901 - MCMI

Período: Réis da república (1889 - 1942)

Tipo de moeda: Circulação normal

Composição: Cupro-Níquel

Tipo de bordo: Liso

Alinhamento: Moeda (180°)

Peso: 5gr

Diâmetro: 20.96mm

Espessura: 1.75mm

A ARTE E OS ARTISTAS - Os artistas responsáveis pelo cunho foram Rodolfo Bernardelli e Paulin Tasset, que teve suas iniciais gravadas entre as estrelas com a sigla PT. Vale ressaltar que há seis(6) tipos diferentes de sigla atribuídas ao gravador Paulin Tasset para as moedas em questão. Especula-se que a sigla de primeiro tipo tenha sido utilizada na produção do lote fabricado pela Casa da Moeda do Brasil. 





Colecionar as variações da sigla de Paulin Tasset, poderá ser agregador e valorizar a coleção dessas peças. 

Rodolfo Bernardelli (1852-1931) - Um grande escultor e professor mexicano naturalizado brasileiro que esporadicamente transitou pela pintura e pelo desenho. Nasceu em Guadalajara, México, em 18 de dezembro de 1852, falecendo no Rio de Janeiro, Brasil, em 7 de abril de 1931. Apesar de ter nascido no México, naturalizou-se no Brasil em 1874, onde lançou suas obras.

Era irmão dos também artistas Henrique Bernardelli e Félix Bernardelli e na companhia de sua família em 1866 deixou o México, seu país natal, passando pelo Chile e Argentina e fixando moradia no estado brasileiro do Rio Grande do Sul. De lá, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde frequentou, entre 1870 e 1876, aulas de escultura e de desenho de modelo vivo na Academia Imperial de Belas Artes. Também viveu alguns anos na Europa, por motivos de estudos em Roma.

De volta ao Brasil, passou a atuar como professor de escultura estatuária na Academia Imperial de Belas Artes e como diretor na recém-criada Escola Nacional de Belas Artes, que chefiou por 25 anos. Deve-se à ele a construção do atual edifício.

Paulin Tasset (1839-1921) - Ernest Paulin Tasset nasceu em París, em 15 de novembro de 1839 e morreu em 1921. Foi escultor e gravador de moedas e medalhas contemporâneo que estudou na Escola de Belas Artes de Paris (École des beaux-arts de Paris).

Era discípulo de Eugène-André Oudiné (1810-1887) e atuou como assistente gravador na Monnaie de Paris, tornando-se gravador em 1869, chegando a ser considerado um dos mais importantes gravadores de sua época.

Entre os fatos interessantes de sua vida, estão a sua primeira exposição pública em 1869 no Salon, também se tornou cavaleiro da Legião de honra em 1895, e foi proclamado membro da Société des Artistes Français além de ter presidido com grande competência a seção "Medalhas Modernas" em 1910 no Congresso Internacional de Numismática em Bruxelas.

Tasset foi assistente de Albert Barre, Chefe-gravador da Casa da Moeda de Paris, por alguns anos. Ao lado de Albert Barre, preparava as matrizes para moedas francesas, o que levou a obter comissões de vários governos: Bolívia, Brasil, Colômbia, Grécia, Haiti, Marrocos, Mônaco, Sérvia, Uruguai, Venezuela, República Dominicana, Holanda, entre outros.

Paulin Tasset é considerado um dos melhores gravadores de medalha contemporâneo e foi ele quem desenvolveu a técnica que tornou possível transformar um modelo de qualquer dimensão numa moeda de tamanhos inferiores.

A FABRICANTE – A Basse & Selve foi uma fábrica sediada em Altena, cidade alemã localizada no distrito de Märkischer Kreis, região administrativa de Arnsberg, estado de Renânia do Norte-Vestfália. A cidade de Altena no Sul da Vestfália, fica a 40 km de Dortmund e faz parte de uma área altamente industrializada. Em sua atividade principal estava a manufatura de metais como níquel, cobre, prata, bronze, latão e alumínio. Entre os itens fabricados pela empresa desde 1860, estavam, tubos metálicos e moedas. 


Com o tempo a fábrica mudou sua atividade, em 1908 debutariam na fabricação de motores para automóveis, motocicletas, barcos, aviões e vagões ferroviários, fornecendo motores também para carros Selve construídos na Selve Automobilwerke AG. 




A empresa também forneceu motores para vários outros fabricantes de automóveis e veículos comerciais, como Beckmann , Mannesmann e Heim. A Basse & Selve continuou a construir motores até encerrar definitivamente suas atividades em 1932, dois anos antes do fechamento de sua empresa irmã e montadora de veículos, Selve Automobilwerke AG, que fechou em 1934.

MERCADO NUMISMÁTICO – As moedas desta série foram historicamente desvalorizadas, mas com a dificuldade de encontrar uma boa peça em meio aos milhões que ainda restam espalhadas por ai, os catálogos acabaram por valorizar as peças em estado superior classificando as moedas da seguinte forma: 











Fonte: Collectgram "Jairo Luiz Corso" / Livro das Moedas do Brasil "Catálogo Amato" / Bruno Diniz Historiador 


Banner de parceria entre Diniz Numismática e Collectgram

Postar um comentário

0 Comentários