MAIS DE 30 ANOS DEPOIS... A MOEDA “ÚNICA” REAPARECE! – O caso do tesouro de denários do monte de Nossa Senhora da Piedade, em Alijó, Portugal.

As peças icônicas da numária mundial são vistas como verdadeiras peças de arte! Roubos, furtos e desaparecimentos misteriosos acontecem com uma frequência tremenda, uma destas vitimas é um Denário... A moeda estava desaparecida desde 1985 junto com uma considerável colção de outras moedas que foram encontradas na Espanha, prontas para serem vendidas em um leilão. Note que a peça é uma moeda romana em prata do ano 68/69 d.C., considerada peça da antiguidade clássica “única no mundo”. Agora a peça repousa no Museu Arqueológico D. Diogo de Sousa em Braga, Portugal.

Detalhando a peça...
Trata-se de um denário (antiga moeda romana) de prata, do período das guerras civis, dos anos 68/69 (imperador romano Galba), e portanto, uma peça única, emitida na Península Ibérica, e como já dissemos “única no mundo”.
 
Como reapareceu?
A moeda romana apareceu em um leilão em Madrid, com um lance inicial de sete mil euros. O leilão chamou a atenção de vários colecionadores e do historiador português Rui Centeno, que comunicou as autoridades sobre o leilão e conseguiu impedir que a peça fosse vendida e incorporada ao acervo pessoal de algum colecionador. A moeda foi entregue pela autoridade espanhola a Portugal.

Mas como ela desapareceu?
O denário e o resto da coleção de moedas romanas tinham desaparecido do Santuário de Nossa Senhora da Piedade, no concelho de Alijó (Vila Real), o que confere a peça e o restante da coleção roubada o status de patrimônio histórico de propriedade de Portugal. As peças e o denário “único” foram furtadas em 1985 do santuário, depois de terem sido descobertas “dentro de um pote” durante escavações arqueológicas no local.

Onde ficará exposta?
A instituição que acolheu o famoso denário e o resto das moedas romanas recuperadas é o Museu Arqueológico D. Diogo de Sousa, em Braga, e agora já pode ser vista pelos visitantes.


Depois de mais de 30 anos as moedas romanas desaparecidas de Alijó estão de volta ao lar e prontas para que possamos contemplar sua raridade.

Postar um comentário

0 Comentários