O POLÍMERO BRASILEIRO – A tentativa brasileira de introduzir a famosa cédula de plástico no meio circulante.

Cédula Comemorativa dos 500 Anos do Descobrimento do Brasil foi lançada em 2000.

A Casa da Moeda começou esta empreitada importando 250 milhões de notas de plástico (polímero) de 10 reais com a efígie de Pedro Álvares Cabral (existem variantes para esta cédula), diretamente da Austrália, infelizmente parece que os australianos não repassaram um produto tão tecnológico e qualificado quanto o que eles usam até hoje por lá. A cédula foi lançada oficialmente em 22 de abril de 2000, data que marcou os 500 anos da chegada dos portugueses ao Brasil. Seis anos após o lançamento das cédulas, em outubro de 2006, o Banco Central começou a tirar de circulação as notas de plástico. A justificativa é que elas não caíram no gosto popular e que os bancos tinham dificuldade em adequar seus equipamento à contagem de notas em polímero. Para ter uma ideia, me lembro de ter tido contato com notas completamente apagadas e que mais pareciam um pedaço de plástico sujo, pela dificuldade em identificar que aquilo era uma cédula verdadeira. Realmente a qualidade não era boa. Hoje elas são colecionáveis e muito procuradas em estado Flor de Estampa. Abaixo seguem algumas características da cédula brasileira em polímero:

Características da cédula comemorativa tendo como base a Primeira série

Características da cédula comemorativa
10 Reais - R$ 10,00
Dimensões: 140 x 65 mm.
Material: polímero (plástico)
Cores predominantes: azul e laranja


10 reais – Anverso:
Contém a efígie de Pedro Álvares Cabral, navegador português que descobriu o Brasil em 22 de abril de 1500; o mapa "Terra Brasilis", uma das primeiras representações da nova terra; um trecho da carta de Pero Vaz de Caminha, primeiro documento a descrever características do lugar e da sua gente; e uma rosa dos ventos, instrumento de navegação extraído da cartografia portuguesa do século XVI. À direita do mapa, estão representadas, também, cinco naus da expedição de Cabral. Ao fundo, encontra-se composição de elementos decorativos de azulejos portugueses, linhas sinuosas e representações da Cruz da Ordem de Cristo, símbolo presente nas embarcações portuguesas da época.
10 reais – Reverso:
Contém uma versão estilizada do mapa do Brasil, formada por quadros, alguns deles contendo fisionomias típicas do povo brasileiro (índio, branco, negro e mestiço), retratando uma característica marcante do Brasil contemporâneo: a pluralidade étnica e cultural.

A cédula sofreu pequenas alterações em suas características em Novembro/2000

10 reais - anverso
Conforme o Comunicado N. 008016, de 22.11.2000, a partir da série A 0587 foram feitas as seguintes alterações na cédula comemorativa:

- Inscrição do nome de Pedro Álvares Cabral por extenso
- Realce da frase "Deus seja louvado", que passa a ser impressa na cor laranja
- Aumento no relevo da marca tátil
- Melhoria da definição da imagem latente e das microimpressões do reverso da cédula.


As cédulas lançadas anteriormente permaneceram circulando sem restrições.

A cédula foi projetada por Tereza Regina Barja Fidalgo, com trabalho gráfico de Marise Ferreira da Silva, em parceria com técnicos do Departamento do Meio Circulante do Banco Central do Brasil. As gravuras manuais, feitas por Mário Dittz Chaves e Cláudia Lopes Tolentino, foram baseadas em fotografias de Bruno Alves/Reflexo, Luiz Cavalcanti Damasceno, João Américo Peret e Nízio Fernandes.



Postar um comentário

0 Comentários