AS FACES DOS DEZ REAIS – Quem são as pessoas que aparecem no reverso da cédula comemorativa dos 500 anos?



Muitas vezes analisamos uma peça e nos perguntamos se as pessoas representadas são verdadeiras ou somente ilustrações criadas por algum artista. A cédula de R$10,00 Reais alusiva as comemorações dos 500 anos da chegada dos portugueses ao Brasil, nos oferece essa curiosidade, pois em seu reverso podemos observar o mapa digitalizado e várias figuras humanas. Estas figuras humanas são os alvos de nosso artigo e pesquisa. 

Segundo a Casa da Moeda, as fotos foram desenhadas e colocadas na cédula para representar o povo brasileiro em sua diversidade. A cédula foi lançada em 2000, e como dito anteriormente, trata-se de uma peça comemorativa. A cédula não caiu nas graças do povo devido sua qualidade duvidosa e durabilidade questionável. Ela começou a ser retirada de circulação em outubro de 2006, hoje em dia, é muito difícil vê-la no meio circulante.

Deixando de lado a qualidade questionável e os motivos comemorativos, temos as figuras humanas representadas. Agora vamos descobrir quem são as pessoas que ainda nos anos 90 emprestaram seus rostos para que esta peça fosse concebida e chegasse em nossas mãos no ano 2000.


A CABOCLA - Rose Machado, moradora da cidade de Seropédica, no Rio de Janeiro, foi a escolhida. Então com 16 anos, Rose era a segunda opção para aparecer na cédula. Uma garota que morava à beira do rio Amazonas era a principal concorrente, mas com a dificuldade de ir até o amazonas, e lá conseguir a autorização de uso da imagem, a equipe preferiu ficar optar pela foto de Rose. Uma foto mais acessível.


O HOMEM DO CAMPO - Cícero Lourenço da Silva foi o único fotografado a receber um cachê. Cícero recebeu pela imagem, algo em torno de R$ 800,00 reais. O nosso homem do campo é Natural de Bezerros - PE, na época em que a imagem foi feita, trabalhava como jardineiro em um condomínio de Atibaia, no interior paulista. Ele emigrou para São Paulo em 1985, fugindo da seca e da fome que assolava o nordeste.


O HOMEM NEGRO – Para esta imagem foi utilizada a figura do funcionário aposentado da Casa da Moeda Luiz Clóvis de Moura. Ele aparece na cédula de R$10,00 reais e representa a raça negra. Uma parte muito importante da diversidade brasileira.


O HOMEM BRANCO – Também funcionário da Casa da Moeda, Amilton Monteiro Júnior, foi escolhido para representar o “homem branco”. A escolha e opção por funcionários da própria Casa da Moeda, acabou facilitando o processo de liberação dos direitos de imagem.


MULHER BRANCA – Figura representada pela imagem de Maria Crivella Ramos, ela não era funcionária da Casa da Moeda, mas era sobrinha de um dos funcionários.


CASAL DE CRIANÇAS NEGRAS - A imagem do casal de crianças negras que aparece na cédula foi retirada de um livro sobre o Quilombo dos Palmares. Infelizmente nem a casa da moeda e nem o livro de onde foram retiradas as imagens conseguiram identificar as crianças. O direito de imagem foi cedido pelo livro que tinha a propriedade da imagem, até hoje não se sabe o nome das crianças.


CASAL DE ÍNDIOS - Os dois índios ilustrados na cédula, fazem parte da Tribo dos Carajás. A imagem utilizada foi cedida pelo Museu do Índio, administrado pela Funai, o museu está localizado no Rio de Janeiro. A equipe do museu mantém um acervo audiovisual composto principalmente por documentos e fotos dos indígenas brasileiros.


A FAMÍLIA – A imagem que nos remete a família tem como personagens ilustrados, o mestre de obras Ariosto Ribeiro Conceição, ao lado de sua vizinha, a menina Natália Guimarães dos Santos. Na época, os dois moravam na cidade de Itaguaí (RJ), mas só se conheceram na hora da foto. Você pode até se perguntar, porque não escolheram um pai e uma filha de verdade, mas isso nem a casa da moeda soube explicar.

Certamente a cédula de R$10,00 Reais de 2000, é uma das poucas na história monetária do Brasil em que podemos conhecer um pouco sobre as personalidades anônimas ilustradas em suas alegorias. Uma curiosidade que enriquece ainda mais a catalogação desta peça da notafilia brasileira.

Fontes pesquisadas: Casa da Moeda do Brasil / Guia dos Curiosos / Imagens: Coleção Bruno Diniz / Complementos: Bruno Diniz

Postar um comentário

0 Comentários