5000 CRUZADOS PORTINARI - Explosão de arte em uma única cédula



Para muitos, esta foi somente mais uma entre tantas notas de dinheiro que circularam no Brasil. Para nós, esta cédula pulsa arte, transpira cultura e possui um altíssimo valor para quem enxerga além dos ganhos financeiros. Eu sei que muitos irão ler somente as primeiras linhas desta postagem e irão nos perguntar o valor da cédula, mas estes não irão entender que o valor é cultural e isso não tem preço. Felizmente, nosso objetivo não passa pela precificação de peças.

Esta cédula retrata um pouco do legado de Cândido Portinari (1903 – 1962), ela possui o valor facial de Cz$ 5.000,00 (cinco mil cruzados) e está entre as mais belas cédulas já lançadas no Brasil.

Em suas obras, o artista retratava com perfeição as questões sociais vividas pelo povo sem a necessidade de desafiar o governo vigente de sua época. Portinari viveu em um momento de efervescência do modernismo brasileiro, tendo como principal influência o modernismo europeu, mas a influencia do velho continente não impediu o artista de criar obras do cotidiano brasileiro, tornando sua temática e seus trabalhos os mais expressivos na questão dos dilemas nacionais.

No anverso da cédula podemos notar a efígie de Portinari, tendo à esquerda, gravura com o trecho final do épico painel “Tiradentes” (3,15 x 18m), concluído em 1949. O fundo de segurança reproduz composição de azulejos que, também de sua autoria, decora as paredes externas do Palácio Gustavo Capanema (antiga sede do MEC), no Rio de Janeiro. O registro coincidente entre anverso e reverso é feito com cavalo, os mesmos elementos que faz parte da composição dos elementos de segurança.  




Que o modernismo inspirou Portinari, já comentamos por aqui, mas todo artista possui outros que o influenciam diretamente, neste caso, o  espanhol Zuloaga e os italianos do século XV, sobretudo Piero della Francesca. Ao passar por Paris, foi extremamente influenciado pela arte obra de Chagall. Portinari também se aventurou em outros estilos, em 1931, fez uma exposição apresentando trabalhos influenciados pelo movimento muralista mexicano, revelando uma tendência à simplificação. Essa influência certamente elevou Portinari a um outro nível , fazendo de sua arte um importante instrumento de denúncia social. O artista buscou inspiração nas mais variadas temáticas que afligiam o povo brasileiro.

No reverso da cédula, à esquerda, gravura baseada em foto que mostra Portinari desenhando o painel  “Baianas” (1,98 x 1,48m), à direita outra gravura lembra elementos do painel “Paz”, que evoca cenas da infância do artista em Brodósqui – SP, sua cidade natal.





Nas várias pinturas de Portinari, notamos a proximidade com o cubismo e o surrealismo, correntes artísticas das vanguardas europeias, mas as influências diretas dos muralistas mexicanos, especialmente, podem ser vistas em quase todos os painéis feitos pelo artista. No entanto, Portinari não perdeu sua arte figurativa em representar o cotidiano brasileiro e suas mazelas, um tom tradicional das obras de Portinari.

Hoje vocês puderam observar a complexidade de elementos culturais em uma das mais belas cédulas que já passaram pelas mãos dos brasileiros.




Postar um comentário

0 Comentários