VARIAÇÕES NA CÉDULA DE 10 CRUZEIROS – Estampa “A” e “B” década de 70



Se simplesmente olharmos para a cédula que ilustra a postagem, podemos perceber facilmente que se trata de uma cédula de 10 CRUZEIROS, da primeira família dos CRUZEIROS, com a efígie de D. Pedro II (1825 – 1891) em seu anverso. No reverso esta cédula apresenta “O profeta Daniel”, ilustrando a escultura de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1730 – 1814). A obra ilustrada  nos 10 CRUZEIROS faz parte do conjunto “Doze Profetas”, estátuas em tamanho natural, esculpidas em pedra sabão entre 1800 e 1805 em Congonhas – MG.


Para complementar a ficha técnica desta cédula, podemos afirmar que ela possui dimensões de 157 x 72mm, projeto gráfico de Aloísio Magalhães,  gravuras manuais feitas pela De La Rue Giore S.A. e foi fabricada pela Casa da Moeda do Brasil, mas começamos a partir de agora a descobrir os detalhes sobre suas variações.

VARIAÇÕES NA ESTAMPA “A”


A cor predominante na estampa “A” é a Sépia, bem como o período de circulação, iniciado em 15 de maio de 1970 vigorando até 30 de junho de 1984. As séries que fazem parte da estampa “A” são as iniciadas em 00001 a 01429 chanceladas por Antônio Delfim Netto, Presidente do Conselho Monetário Nacional e por Ernane Galvêas, Presidente do Banco Central do Brasil. As séries 01430 a 07745 também fazem parte da estampa “A” e são chanceladas por Mário Henrique Simonsen, Presidente do Conselho Monetário Nacional e Paulo Hortênsio Pereira Lira Presidente do Banco Central do Brasil.

CÉDULAS DE REPOSIÇÃO ESTAMPA “A” - A estampa “A” também contou com séries de reposições identificadas pelo símbolo asterisco (* sinal gráfico em forma de estrela) As séries 00001* a 00011* são chanceladas por Antônio Delfim Netto, Presidente do Conselho Monetário Nacional e por Ernane Galvêas, Presidente do Banco Central do Brasil. As séries 00011* a 00022* foram chanceladas por Mário Henrique Simonsen, Presidente do Conselho Monetário Nacional e Paulo Hortênsio Pereira Lira Presidente do Banco Central do Brasil.

VARIAÇÕES NA ESTAMPA “B”


A cor predominante na estampa “B” é o Vinho amarronzado, bem como o período de circulação, iniciado em 12 de março de 1979 vigorando até 30 de junho de 1984. As séries que fazem parte da estampa “B” são as iniciadas em 00001 a 02394 chanceladas por Mário Henrique Simonsen, Presidente do Conselho Monetário Nacional e por Paulo Hortênsio Pereira Lira, Presidente do Banco Central do Brasil. As séries 02395 a 02870 também fazem parte da estampa “B” e são chanceladas por Karlos Heinz Rischbieter, Presidente do Conselho Monetário Nacional e Ernane Galvêas, Presidente do Banco Central do Brasil. Outra série ainda seria lançada e iniciada em 02871 a 05131 e chancelada por Ernane Galvêas, Presidente do Conselho Monetário Nacional e Carlos Geraldo Langoni, Presidente do Banco Central do Brasil.

CÉDULAS DE REPOSIÇÃO ESTAMPA “B” - A estampa “B” também contou com séries de reposições identificadas pelo símbolo asterisco (* sinal gráfico em forma de estrela) As séries 00001* a 00002* são chanceladas por Mário Henrique Simonsen, Presidente do Conselho Monetário Nacional e por Paulo Hortênsio Pereira Lira, Presidente do Banco Central do Brasil. A série 00002* foi chancelada por Karlos Heinz Rischbieter, Presidente do Conselho Monetário Nacional e Ernane Galvêas, Presidente do Banco Central do Brasil. Por último as séries 00002* a 00003* foram chanceladas por Ernane Galvêas, Presidente do Conselho Monetário Nacional e Carlos Geraldo Langoni, Presidente do Banco Central do Brasil.

DIFERENÇAS DA ESTAMPA “B” EM RELAÇÃO A ESTAMPA “A”

A esquerda estampa "B" e a direita estampa "A" -Acervo Diniz Numismática

Anverso: Acentuação da cor vinho do medalhão e impressão da tarja central, rosáceas e inscrições com predominância da cor vinho amarronzado.

A esquerda estampa "B" e a direita estampa "A" - Acervo Diniz Numismática

Reverso: Substituição da técnica de calcografia por ofsete seco, com esmaecimento da tonalidade das core e impressão dos textos em cores irisadas, variando do verde para o marrom, tal como um degradê.

Vocabulário:
Calcografia - arte e técnica de gravar em oco no cobre ou em outro metal.
Ofsete Seco - É um tipo de impressão, onde um cilindro de borracha imprime em uma folha de papel os caracteres.



Postar um comentário

0 Comentários