MOEDA PAPAL – Soldo romano de 1/8 Síliqua, Constantino IV (668-685) e Papa Vitaliano (657-672).


Temos muito numismatas focados em coleções voltadas aos temas papais ou ao próprio Vaticano como “Estado” constituído. De fato, a numária papal nos deixa muito curiosos por ter em sua gama de peças, moedas raríssimas e carregadas de história. Um leitor nos sugeriu abordar o tema destas curiosas moedas até mesmo pela falta de informação e dificuldade em encontrar temas relativos. Certamente não faremos uma série, mas rotineiramente iremos publicar artigos sobre as raras moedas papais.  Iniciaremos nossa trajetória com esta belíssima e raríssima peça, uma

O IMPERADOR DA ÉPOCA Era Constantino IV, por vezes erradamente cognominado "o Barbudo", por ser confundido com o seu pai Constante II; foi imperador bizantino de 668 a 685. Foi associado ao trono como co-imperador juntamente com o seu pai em 654, e tornou-se imperador quando Constante II foi assassinado em 668.

A MORTE DE CONSTANTE II - Rumores de que Constante estaria mudando a capital do Império para Siracusa foram provavelmente fatais para Constante. Em 15 de setembro de 668, o imperador foi assassinado durante o banho por seu camareiro com um balde segundo Teófilo de Edessa. Foi sucedido por seu filho, Constantino IV (r. 668–685). Mas este, ao assumir, teve uma breve tentativa de golpe sofrida na Sicília por Mezézio (r. 668–669), mas o ato foi rápido e duramente reprimido pelo novo imperador.

É BOM LEMBRAR! Que Constante é um apelido diminutivo dado ao imperador, nascido "Heráclio" e oficialmente chamado de "Constantino". O apelido se estabeleceu nos textos bizantinos da época e se tornou padrão na historiografia moderna.

A MOEDA – Trata-se de soldo romano 1/8 Síliqua, do período imperial, Constantino IV (668-685) e Papa Vitaliano (657-672), com peso aproximado de 0,26g, trata-se de uma moeda romana. Veja outros detalhes de anverso e reverso:

Busto do Imperador coroado e sem barba, vestindo Clâmide (uma peça de vestuário da Grécia Antiga, um tipo de manto. A clâmide era utilizada basicamente por soldados gregos do século V ao III a.C. Originalmente, era amarrada à cintura, como uma roupa para cobrir a genitália, mas ao fim do século V a.C. era usado acima dos cotovelos), e segurando um globus

Cruciger [do latim "orbe portadora de cruz", também conhecido como "orbe e cruz", é uma orbe (em latim, globus) encimada ( em latim, gerere , vestir) por uma cruz (em latim, crux ). Um símbolo cristão de autoridade desde a Idade Média , usado em moedas , na iconografia e com um cetro real . A cruz representa o domínio de Cristo sobre a órbita do mundo, literalmente nas mãos de um governante terreno. Na iconografia da arte ocidental , quando o próprio Cristo segura o globo, ele é chamado de Salvator Mundi (latim para "Salvador do Mundo"). A estátua do Menino Jesus de Praga, do século 16, segura um globus cruciger dessa maneira.]

Monograma alongado do Papa Vitaliano (Monograma é a sobreposição, agrupamento ou combinação de duas ou mais letras ou outros elementos gráficos para formar um símbolo. Monogramas frequentemente são construídos combinando as letras iniciais do nome de uma pessoa e utilizados como símbolos de identificação, tal como os logotipos modernos).

ETIMOLOGIA DA PALAVRA SÍLIQUA - Em latim: Siliqua, que em tradução livre significa "quilate", no plural, Siliquae. Um termo moderno atribuído por numismatas a moedas de prata finas e leves produzidas pelo Império Romano nos séculos IV e V. Quando estiveram em circulação, a palavra em latim síliqua não era utilizada para definir a moeda como “moeda fina”, mas era uma unidade de peso definida como 1⁄24 de peso de um soldo romano. O termo síliqua provém de siliqua graeca, uma semente de alfarrobeira, que no sistema de peso romano é equivalente a ⅙ de um escrópulo (1⁄1728 de uma libra romana ou aproximadamente 0,19 gramas).

Uma moeda rara e desconhecida do público até o ano de 1985.

O PAPA - Vitaliano, era natural de Segni, uma comuna italiana da região do Lácio, província de Roma, e foi eleito como pontífice em 30 de Julho de 657 e consagrado dois meses depois, por pressão de Constantino II. Era durante o pontificado de Vitaliano que a primeira visita de um imperador a Roma em mais de trezentos anos ocorreria. Constantino II visitou Roma em 663, mas a visita terminou em um tremendo desastre. As campanhas de Constantino II contra os lombardos não eram tão populares e invariavelmente significavam a extorsão implacável de seus súditos italianos, acrescida da infame espoliação do telhado dourado do Panteão, isso deu-lhe uma reputação quase tão ruim quanto Gaiseric, rei dos Vândalos e Alanos (428-477). Vitaliano morreu em 27 de Janeiro de 672.

 

Referências Bibliográficas

- The Oxford Dictionary of Byzantium, Oxford University Press, 1991.

- Byzantium: The Early Centuries, Juhn Juluis Norwich, Penguin Books, 1990.

- The Oxford Dictionary of Byzantium, Oxford University Press, 1991. (em inglês)

- Paulo, o Diácono, Historia Langobardorum, Livro

- Gnecchi, Cav. Francesco (1903). Roman Coins - Elementary Manual. Londres: Spink & Son

- Grierson, Philip (1999). Byzantine Coinage. Washington, Distrito de Colúmbia: Dumbarton Oaks. ISBN 978-0-88402-274-9

- Yule, Henry; Burnell, A. C. (1903). Hobson-Jobson - A Glossary of Colloquial Anglo-Indian Words and Phrases, and a Kindred Terms, Etymological, Historical, Geographical and Discursive. Londres: John Murray

- Papal coinage to 1605.


Banner de parceria entre Diniz Numismática e Collectgram

Postar um comentário

0 Comentários