FUNÇÕES DA MOEDA – Muito além da carteira...


A numismática você já sabe que é uma ciência. Conhecer os detalhes do meio financeiro é algo que lhe ajudará a compreender a função do dinheiro em uma perspectiva mais ampla. A moeda tem diversas funções reconhecidas, que justificam o desejo das pessoas em guardar, poupar ou reter de alguma forma. Hoje iremos apresentar algumas funções da moeda. Esqueça o recheio de sua carteira por um segundo e veja outras funções do dinheiro. 

MEIO DE TROCA - A moeda é o instrumento intermediário de aceitação geral, para ser recebido em contrapartida da cessão de um bem e entregue na aquisição de outro bem (troca indireta em vez de troca direta). Isto significa que a moeda serve para solver débitos e é um meio de pagamento geral.


UNIDADE DE CONTA - Permite contabilizar ou exprimir numericamente os ativos e os passivos, os recebíveis e as dívidas. Esta função da moeda suscita a distinção entre valor absoluto e valor relativo:

O valor absoluto - É a quantidade de moeda necessária para se obter uma unidade de um bem, ou seja, é o valor expresso em moeda.

O valor relativo - Exige que se considere dois valores absolutos, uma vez que é definido como um quociente. Assim, P1 e P2 designam os valores absolutos dos bens 1 e 2, respectivamente. P1/P2 é o valor relativo do bem 1 expresso em unidades do bem 2. Ou seja, é a quantidade de unidades do bem 2 a pagar por cada unidade do bem 1.



RESERVA DE VALOR - A moeda pode ser utilizada para acumulação de poder aquisitivo, a usar no futuro. Assim, podemos afirmar que se trata de um fundo monetário futuro. Isto porque pode não haver sincronia entre os fluxos da despesa e das receitas, por motivos de precaução ou de natureza psicológica. A moeda não é o único ativo a desempenhar esta função; o ouro, as ações, as obras de arte e mesmo os imóveis também são reservas de valor. A grande diferença entre a moeda e as outras reservas de valor está na possibilidade de mobilização imediata do poder de compra (maior liquidez), enquanto os outros ativos têm de ser transformados em moeda antes de serem trocados por outro bem.


ATENÇÃO – Em períodos de alta inflação, a moeda deixa de ser utilizada como reserva de valor por conta de uma possível desvalorização, mas, em outros casos (embora haja ativos tão seguros quanto a moeda mas que rendem juros), ela é preferida como reserva de valor por alguns grupos (especialmente aqueles que realizam atividades ilegais), pois mantém o anonimato de seu dono - ao contrário, por exemplo, de alguns tipos de depósitos, estes, podem ser de alguma forma rastreados.




Postar um comentário

0 Comentários