1 IENE (YEN) 1889 – E sua ligação com a fonte da Juventude.


Essa bela cédula de iene faz parte de uma série de notas japonesas de rara beleza que tanto apreciamos por aqui. O Banco do Japão começou a emitir essas notas de 1 iene em 1889. Elas foram retiradas de circulação em 1943. A cédula que ilustra nossa postagem representa Takenouchi no Sukune (64 - 344), o lendário herói japonês estadista, e kami do xintoismo.

Sukune era descendente do Imperador Kōgen, e serviu a pelo menos cinco imperadores lendários, Imperador Keiko, Imperador Seimu, Imperador Chuai, Imperador Ojin, e Imperador Nintoku, mas ficou muito conhecido por seu serviço como Primeiro Ministro da Sesshō Jingū, quando a ajudou a preparava a invasão ao Reino de Silla (Sila foi um dos três reinos Coreanos da antiguidade) Pouco depois Takenouchi foi acusado de traição sendo submetido a "prova da água fervente", um tipo de prova judiciária usada para determinar a culpa ou a inocência do acusado por meio da participação de elementos da natureza e cujo resultado é interpretado como um juízo divino.

Além de seus serviços militares para esses imperadores, Takenouchi no Sukune era também um Saniwa (um tipo de médium espiritual)

Vinte e oito clãs japoneses afirmam ser descendentes de Takenouchi no Sukune, dentre estes os mais conhecidos são:

Ki

Katsuragi

Heguri

Kose

Soga

A LENDA - Embora Sukune tenha supostamente “servido” a cinco imperadores japoneses, o maior dos feitos deste héroi seria sua longevidade, esta, se deu por ter bebido água diariamente de um poço sagrado, que o ajudou a viver até os 280 anos de idade. Takenouchi no Sukune foi consagrado como Kami no Santuário Ube, no distrito de Iwami da Província de Tottori e nos Santuários dedicados a Hachiman. Seu busto aparece nesta cédula de iene (impresso em 1889) e até mesmo em bonecos populares entre as crianças japonesas.

CURIOSIDADE - Takenouchi no Sukune é avô de Takenouchi no Matori que escreveu os manuscritos de Takenouchi Monjo. Estes retratavam o Japão antes dos registros de Kojiki e de Nihon Shoki. Cópias destes manuscritos podem ser vistas no Santuário Kouso kotai Jingu na Província de Ibaraki .




Banner de parceria entre Diniz Numismática e Collectgram

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Japão e suas histórias milenares. Enquanto isso, Brasil, um pais sem memória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também temos uma história muito rica amigo! Em nosso blog você encontrará várias.

      Excluir