Muitas vezes observamos em catálogos os valores, preços ou projeções mercadológicas para uma determinada peça e pensamos na seguinte questão. Como chegaram ao valor? Certamente não foi determinado de forma aleatória e sem um parâmetro. Para determinarmos um valor de mercado para uma peça devemos observar três formas de avalição distintas, mas que de alguma forma se completam ao percebermos o mercado; o valor intrínseco, extrínseco e o valor numismático. Sabendo disso, vamos ao detalhamento dos casos mencionados;

Avaliação Intrínseca – Compreende uma avaliação superficial, determinada somente pelo valor de mercado do metal apresentado. As moedas que não apresentam cerceio, estando integras em seu peso oficial são bem aceitas pelo mercado colecionista receptor.

Avaliação Extrínseca – Também conhecida como avalição fiduciária, determinando o valor da peça somente por seu valor facial oficial e determinado por lei para curso legal.

Avalição Numismática – Oferta e procura. Parece simples, mas infelizmente o mercado tem agido de forma predatória e desta forma criando uma enorme bolha em torno de algumas peças. O mercado numismático regula os valores praticados de acordo com a demanda por uma determinada peça, mas nem sempre essa peça obedece a princípios observados por estudiosos e colecionadores de visão clássica e cientifica.

Para um numismata clássico ou cientifico, uma peça também é observada pela oferta e procura, mas sempre vamos mais além ao observarmos sua relevância histórica, seu grau de raridade por baixa tiragem, escassez de uma peça no mercado por data, metal e novamente baixa tiragem, o metal utilizado para a cunhagem, se de circulação comum ou comemorativa, estado de conservação e variações historicamente catalogadas. Publicações e materiais antigos também são observados e levados em consideração.   

SAIBA QUE... Ao observarmos as formas de avalição mencionadas neste artigo, não tenha como conclusão a separação e distinção destes ao praticar o ato de avaliar uma peça, pois ao realizarmos uma avalição mercadológica ou histórica precisamos unir todas as informações na busca de um equilíbrio avaliativo, sem exageros e utilizando sempre do bom senso e coerência. Algo que não temos visto ultimamente no mercado numismático nacional.