É gostoso colecionar! A maioria de nós tem boas lembranças das diversas coleções que fazemos ao longo da infância, foram garrafinhas de refrigerantes para alguns, álbuns de figurinhas para outros, papéis de carta, carrinhos e futebol de botão, e em um belo dia descobrimos as moedas. Estas, além de colecionáveis nos proporciona um maior amadurecimento cultural e histórico, nos oferece uma compreensão mais ampla do passado e de como viviam nossos antepassados. 

O simples fato de colecionar acaba sendo uma boa oportunidade para desenvolver algumas habilidades, como aprender a esperar, ser paciente e compreender que uma coleção não se completa da noite para o dia.

Um numismata estuda, coleciona e preserva a memória monetária mundial! 

Feliz dia do numismata!

QUER SABER MAIS SOBRE O DIA DO NUMISMATA?

 numismática desenvolveu-se no Brasil, principalmente a partir do século XIX, seguindo em parte o modelo europeu.

A aristocracia teve papel fundamental para o desenvolvimento da numismática no Brasil, por ser a classe mais instruída e também por ter condições de formar coleções numismáticas, lembrando-se que na época as coleções deviam se formar basicamente de moedas greco-romanas. Temos também a contribuição especial do imperador Dom Pedro II, amante das artes e da história e que freqüentemente fazia viagens ao exterior donde trazia “lembranças”.
Com o fim do Império, a maior parte da produção numismática brasileira ficou restrita a museus e a trabalhos realizados por poucos pesquisadores principalmente no eixo das cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, quadro que começou a se alterar com a popularização das feiras de antiguidade e com a criação de sociedades numismáticas no país.

Apesar dos esforços a numismática no Brasil não é tão bem difundida como em outros países. Ainda assim, possui vários grupos de colecionadores bem organizados, cursos e literatura sobre sua evolução no país.

No calendário oficial, o dia 1º de Dezembro é marcado como o "Dia do Numismata". Essa data foi escolhida por reunião da Sociedade Numismática Brasileira por ser o dia, no calendário católico, de Santo Eloi (ou Elígio), padroeiro dos numismastas.