O EPISÓDIO DOS “CUNHA DÓLARES” – O dinheiro fantasia jogado em Eduardo Cunha virou peça de coleção.



Na notafilia as cédulas fantasias e curiosidades fazem sucesso com uma parte dos entusiastas pelo dinheiro de papel. Um episódio da história política recente do Brasil nos leva ao encontro de uma destas peças que ficaram na memória de muitos colecionadores. Em 04 de novembro do ano de 2015, mais precisamente às 18h06 em plena quarta-feira, onde o caos imperava em Brasília na câmara dos deputados. Um manifestante jogava centenas de dólares fantasia na cabeça do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (do antigo PMDB-RJ, hoje Cunha é um dos ilustres integrantes do sistema prisional brasileiro), os dólares foram jogados durante uma entrevista coletiva no Salão Verde da Casa.

“Trouxeram sua encomenda da Suíça!!!”, gritou o rapaz logo antes de jogar as cédulas, que traziam uma foto de Cunha no centro e a inscrição do movimento Levante Popular da Juventude.

Uma das pessoas que jogaram os “dólares” em Eduardo Cunha foi detida pelo Departamento de Polícia Legislativa da Câmara. Cunha permaneceu em frente aos microfones e prosseguiu com a entrevista. Vale ressaltar que momentos antes dos “dólares” voarem pelo salão verde, confrontos entre defensores de Dilma e grupo pró-impeachment ocorreram no mesmo lugar. A “casa do povo” virou um verdadeiro campo de batalha verbal, com palavras de violência sendo lançadas por ambas as partes.

LOGO APÓS OS DÓLARES SEREM JOGADOS... “Não vou, por causa de um militante encomendado aqui para fazer uma agressão, me intimidar, constranger. Ele foi contratado por alguém com um objetivo. Não vou pautar a minha atuação por causa de um militante. Vou impor a ordem à Casa, pode ter certeza disso”, disse Cunha.

UM SHOW NO SALÃO VERDE... Antes do ataque a Eduardo Cunha, no “salão verde da casa do povo” assessores de parlamentares petistas e militantes favoráveis ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, estavam acampado no Salão Verde e um clima que não era favorável foi piorando com troca de provocações até que entraram em confronto. A discussão começou quando a deputada Moema Gramacho (PT-BA) se colocou ao lado de um painel, instalado pela oposição no Salão Verde onde reuniam assinaturas de deputados favoráveis ao impeachment. Pouco antes, a deputada tinha apresentado em plenário uma questão de ordem ao presidente da Câmara pedindo a retirada do painel, Cunha atendeu ao pedido, e deferiu em favor da petista. Mas os ânimos acirrados e provocações de ambos os lados ao máximo volume e com uma pitada de incoerência por parte da deputada petista, a mesma resolveu participar e conferir pessoalmente a retirada do painel. Aí a coisa toda desandou de vez... A deputada Moema Gramacho começou a hostilizar e ser hostilizada pelos manifestantes que defendiam a cassação de Dilma. Virou um tumulto de assessores e deputados, dando início aos xingamentos e baixarias que eu nunca tinha presenciado em toda minha vida.

E DEPOIS... Parlamentares subiram até a tribuna para repudiar e também aplaudir os atos de confusão ocorridos no salão verde. Iniciava-se um discreto bate-boca entre alguns deputados, mas o então presidente, Eduardo Cunha, confirmava a autorização dada pela retirada do painel, mas reiterou que não poderia ter sido feita por assessores do partido.

“A Casa não será alvo de permanentes panfletos. O que acontece é que foram executar a minha ordem na marra antes da polícia legislativa. Por isso, vamos instaurar uma sindicância e quem cometeu ato de violência vai ser punido”, disse Eduardo Cunha.

Eduardo Cunha também afirmou que não permitiria nova confusão na Casa, mas a pregunta é! No que deu? Deu, que ele não contava que seria o próximo, pois Dilma já estava fora, Lula seria preso e o Brasil continuará seguindo entre trancos e barrancos tentando permanecer de pé depois de tantos espetáculos proporcionados pela classe política brasileira.

CUNHA DÓLARES EM MINHA COLEÇÃO... Eu presenciei todo o fato, como numismata e colecionador, não pude deixar de parar, olhar e apanhar algumas destas cédulas fantasia, minha vontade em recolher estes “Cunha Dólares” me fizeram pensar que eu estava diante de um fato que ficaria marcado na história do Brasil. Realmente! Muitos me perguntam se já tive acesso aos “Cunha Dólares” Eu estive lá e presenciei tudo de perto e hoje tenho algumas dezenas deles guardados. Hoje compartilho com vocês um pouco da história do Brasil e das cédulas fantasia que possuem a estampa da nota de 100 dólares com o busto do hoje presidiário Eduardo Cunha.

Postar um comentário

0 Comentários