A ECONOMIA BRASILEIRA - Registrada em um pequeno diário.



Olhar para o dinheiro antigo desperta memórias, sabendo disso, uma amiga mexendo em seus tesouros pessoais e quase arqueológicos, depositado em um armário na casa de sua mãe, encontrou seu antigo diário datado de 1989. Folheando as páginas, ela encontra em suas poucas linhas escritas no mês de Janeiro daquele ano, um registro muito interessante! 

Na época ela tinha 11 anos, a mesma idade de sua filha mais velha. Em um período que não existiam redes sociais e que não existiam mecanismos instantâneos de informações. A pequena garota se interessava em andar de bicicleta, patins, imitar a Angélica (na parada de sucesso "Vou de táxi"), brincar na área externa do bloco onde morava (algo comum para as crianças que moram nas Asas Sul e Norte de Brasília). Mas você deve estar se perguntando onde entra a numismática nessa história? Ela chega de forma discreta e registrada nas páginas deste pequeno diário. Um documento que nos mostra a mentalidade de uma criança frente aos problemas de um país em crise.


Não tinha como passar despercebido este olhar juvenil sobre uma problemática nacional que deixava o país enlouquecido. As mudanças para o controle da inflação, algo que era contínuo, diário, exorbitante naqueles dias. (Para os mais jovens era a mudança do Cruzado para o Cruzado Novo).

Lilian Tamar, este é o nome da pequena garota que escreveu suas lembranças de um período econômico do país em seu pequeno diário. Hoje, ela está casada e é mãe de duas lindas princesas.


De acordo com Lilian, "ficam agora as lembranças de uma época tão especial, independente das lamúrias e aflições que só os adultos sabiam em 89. Hoje, 30 anos depois, sou eu do lado de cá!"

O CRUZADO NOVO - (NCz$) foi a moeda brasileira que vigorou entre 16 de janeiro de 1989 a 15 de março de 1990. Foi consequência da reforma monetária promovida pelo Plano Verão, instituído pelo ministro Maílson da Nóbrega, em 1989 durante o governo do presidente José Sarney. O cruzado novo correspondia a mil cruzados, ou seja houve um corte de três zeros para a utilização da nova nomenclatura.

Cédulas - Inicialmente foram reaproveitadas as três últimas cédulas do padrão Cruzado, nas quais foi aposto um carimbo com os valores respectivos de 1, 5 e 10 cruzados novos respectivamente.

Depois disso, foram emitidas cédulas próprias do padrão, com o tamanho de 140 x 65 mm, que a partir de então viria a ser o tamanho padrão das cédulas brasileiras, se seguindo até a emissão das cédulas do padrão Real.

As cédulas próprias do Cruzado Novo são as seguintes:

Valor
Homenageado
Observação
50,00
Carlos Drummond de Andrade
100,00
Cecília Meireles
200,00
Efígie da República
(Comemorativa ao I Centenário da República)
500,00
Augusto Ruschi








As cédulas deste padrão foram reaproveitadas no padrão seguinte, emitido a partir do Plano Collor e no qual se retomava a nomenclatura Cruzeiro para a moeda em circulação no Brasil.

Moedas - Foram emitidas as seguintes moedas no Cruzado Novo:

Valor
Homenageado
Metal
Observação
0,01
Boiadeiro
Aço inoxidável
0,05
Pescador
Aço inoxidável
0,10
Garimpeiro
Aço inoxidável
0,50
Rendeira
Aço inoxidável
1,00
Efígie da República
Aço inoxidável
(Comemorativa ao I Centenário da República - Circulação Comum)
200,00
Efígie da República
Prata
(Comemorativa ao I Centenário da República - Acabamento Proof em Estojo)






Postar um comentário

0 Comentários