A MOEDA EM USO MAIS ANTIGA DO MUNDO – Curiosidades sobre a Libra Esterlina



Na Inglaterra a moeda que alimenta o meio circulante é a Libra Esterlina. A moeda inglesa é a mais antiga em uso no mundo. Ela é utilizada todos os países que fazem parte do Reino Unido (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte) alguns territórios britânicos ultramarinos também utilizam as moedas (Ilhas Cayman, Ilhas Malvinas, Bermudas, Anguilla, Gilbratar, Ilhas Virgens Britânicas, Ilhas Pitcairn, Geórgia do Sul, Santa Helena e Monte Serrat).

As cédulas da Libra Esterlina (em inglês, “British Pound”, “Pound Sterling” ou apenas “Pound”) podem ser encontradas em 5£, 10£, 20£ e 50£. Já as moedas são 1p, 2p, 5p, 10p, 20p, 50p, 1£ e 2£. (O “p” representa “penny” (no singular) e “pence” (no plural), que seriam os centavos. 100p equivalem a 1£.

Existem 12 curiosidades sobre a moeda da Inglaterra que talvez você ainda não conheça:

- O “pound” da Inglaterra Anglo-Saxã era uma unidade monetária que correspondia a 1 libra romana (0,33kg) de prata.

- Até 1725, as notas de Libra Esterlina eram escritas a mão.

- Até 1861, a pena de morte era uma condenação cabível para quem falsificasse dinheiro na Inglaterra.

- O físico e matemático Isaac Newton foi Mestre da Casa da Moeda, que se localizava dentro da Torre de Londres.

- Elizabeth Fry é o rosto que aparece nas notas de 5£. Ela foi uma das maiores defensoras dos direitos das mulheres.

- Charles Darwin é a figura que ilustra as notas de 10£. O naturalista britânico escreveu o livro “A Origem das Espécies” e é visto como o pai do evolucionismo por parte da comunidade científica mundial.

- O escocês Adam Smith é o rosto que consta nas notas de 20£ da Libra Esterlina. Ele é considerado o pai da economia moderna.

- As notas de 50£ possuem uma dupla de empresários em destaque. Matthew Boulton e James Watt foram personalidades importantes para a Revolução Industrial no Reino Unido.

- A República da Irlanda não faz parte do Reino Unido e por isso tem o Euro como a sua moeda oficial.

- O Banco da Inglaterra produz duas notas de valor assustador, chamadas de “Giant” e “Titan”. A primeira é de 1 milhão de libras, e a segunda, de 100 milhões de libras. Elas são utilizadas apenas dentro do sistema bancário.
- Desde sua origem, acredita-se que da Libra Esterlina já possua algo em torno de 1,2 mil anos de uso.

- Em 1124, Henry I mandou castrar 94 trabalhadores da Casa da Moeda, acusados de produzir moedas de má qualidade.

UM POUCO DE HISTÓRIA - A Libra Esterlina não chegou até os dias atuais sem uma carga histórica para contar sua trajetória ao longo dos séculos.  Em circulação desde o ano 928. Ainda na época dos povos Anglo-Saxões. Teve na figura do Rei da Inglaterra, Athelstan, aquele que instituiria a British Pound, a primeira versão da libra produzida pela Coroa.

Originalmente, as libras eram apenas moedas de prata (com o mesmo valor do metal) e recebiam o nome de Sterlings. Em média, cada 453 gramas da matéria-prima eram divididas em cerca de 240 Sterlings, utilizadas para transações entre feudos Anglo-Saxões e outros povos da Europa.


UMA NOVA VISÃO - A libra esterlina seguiu com o mesmo valor da prata até o fim do século 17. Até que o sistema começou a ser reformulado por Sir Isaac Newton, ao assumir o cargo de presidente da Casa da Moeda Inglesa (Royal Mint).  Mesmo em ritmo de mudança, as primeiras notas de Libra só iriam surgir em 1694, quando o Rei William III havia recolhido todo o ouro disponível no país e o guardava na Torre de Londres para financiar a guerra contra a França. Para recapitalizar os proprietários do ouro aplicado, Willian III passou a distribuir notas promissórias. Com o crescimento das operações com uso de promissórias era preciso controlar o sistema, Assim, Willian III, funda o Banco da Inglaterra, o primeiro banco central do mundo.

Torre de Londres

A PRIMEIRA FALSIFICAÇÃO DE UMA NOTA DE LIBRA -
A primeira falsificação ocorreu em 1695. Naquele ano, um cidadão chamado Daniel Perrismore foi preso por portar 100 libras esterlinas em 60 notas falsas. Depois do fato, foi introduzida a marca d’água nas notas e no bojo uma lei que garantia a pena de morte aos falsários.

A NOTA DE 10 LIBRAS ESTERLINAS – A nota de 10 libras surgiria em 1797, e um fato curioso nos chama a atenção, uma vez que, até 1855, todas as cédulas eram assinadas à mão e o sistema financeiro inglês garantia que cada nota tivesse seu equivalente em ouro depositado na Torre de Londres. O sistema vigorou até 1914, quando iniciou a I Guerra Mundial.

O SISTEMA DECIMAL – Este foi introduzido na economia inglesa em 1971, quando cada libra esterlina passou a ser dividida em 100 pence (pence é o plural de penny, que equivale a um centavo). Atualmente, são oito moedas e quatro notas em circulação.

COTAÇÃO FAVORÁVEL – A Libra Esterlina é de fato uma moeda muito valorizada na economia global. Para nós, brasileiros, que desejam conhecer a Inglaterra algum dia, a libra esterlina é uma das grandes barreiras que iremos encontrar no Reino Unido. É muito comum vê-la cotada acima do dólar e do euro, diminuindo drasticamente o poder de compra dos brasileiros ao realizarem uma conversão cambial. Viajar para a Inglaterra de um modo geral, parece ser extremamente caro, fazendo do país um dos mais caros do mundo.

Para se ter uma ideia, considerando fatores como custo de vida, valor de impostos e até taxas aeroportuárias. No Reino Unido, os visitantes gastam, em média, US$ 1.300 para ficar alguns dias em Londres. O valor médio de uma diária gira em torno de US$ 139 (10% a mais do que nos Estados Unidos). Uma dica poderá lhe ser útil em caso de uma visita ao país, uma vez que, Londres é repleta de atrações gratuitas e você pode encontrar hospedagem por valores mais baixos em hostels.

A Libra é antiga e muito valorizada, possui uma enorme carga histórica em sua trajetória e está entre as moedas mais respeitadas do mundo.


Postar um comentário

1 Comentários