DEFEITOS E DETALHES – Peculiaridades tornam as moedas e cédulas mais atraentes?



Particularmente, não possuo em meu acervo peças com defeitos ou similares, mas para alguns, os detalhes e defeitos tornam as peças mais valiosas. Separamos alguns clássicos para que vocês possam observar.

MOEDAS - Um dos mais comuns é chamado de ‘reverso invertido’. É quando a figura na moeda está invertida, de cabeça para baixo. Podemos citar a ‘batida dupla’ que é quando a data é impressa duas vezes, de cada um dos lados, e o famoso ‘boné’, que é uma sobra razoável de metal na moeda.

CÉDULAS - O número de série 0001, do início, também torna a cédula mais especial e com maior potencial de valorização. Já manchas e sinais de uso podem depreciar a peça, colocando em risco o investimento. Às vezes, uma frase ou palavra também adiciona valor ao produto. Nas notas de R$ 10 impressas em polímero, as séries que têm escrito “Pedro A. Cabral” valem menos do que as que têm “Pedro Álvares Cabral”. O motivo da diferença de preço? A segunda teve menos impressões que a primeira. Tudo gira em torno da tiragem.

Uma das cédulas mais raras com o valor facial de 1 Real, é a cédula de 1996, com assinatura dos então ministro Pedro Malan e o presidente do Banco Central Gustavo Loyola. Mas existe um pequeno detalhe. Para a cédula alcançar um bom valor ela precisa pertencer a série “BA”. Se for uma das primeiras com essas letras, você terá ofertas na casa dos R$ 150. O estado de conservação exigido é o Flor de Estampa, do contrário, não valerá quase nada.

O mercado de cédulas não está favorável para venda, visto que muitos colecionadores são altamente seletivos e já possuem coleções bem encaminhadas, estes fazem compras pontuais. As moedas estão em alta e são a bola da vez. A bolha comercial de moedas do Real voltou a crescer e muitos estão explorando as moedas do Beija-Flor neste momento. Tenha cautela ao investir em moedas do Real, pois você poderá perder dinheiro se der um passo além do limite.

Postar um comentário

0 Comentários