MICRO CHANCELAS - De 1943 a 1994, dos Cruzeiros aos Cruzeiros Reais.



Entre os anos de 1943 a 1953, durante as emissões iniciais do padrão cruzeiro, o novo padrão monetário brasileiro desde 1º de novembro de 1942, as cédulas eram autografadas uma a uma pelos funcionários da Caixa de Amortização antes de entrar em circulação, da mesma forma como eram feitas as emissões em mil-réis de antes de 1942. O Ato de autografar torna impossível a identificação das assinaturas em cédulas autografadas.



A partir de 1953, as cédulas passaram a ter já em sua impressão as chamadas micro chancelas, que são assinaturas dos responsáveis pela emissão das cédulas impressas em tamanho reduzido no corpo de cada cédula. Assim, desde 1953, os diretores da Caixa de Amortização e Ministros da Fazenda passaram a ter suas assinaturas impressas nas cédulas brasileiras e a prática de autografar as cédulas nunca mais foi utilizada. 

Hoje podemos ver as micro chancelas do Ministro da Fazenda e do Presidente do Banco Central nas cédulas do padrão monetário Real. Mas temos um fato curioso. Muitas pessoas não sabem quem foi ou quem eram as pessoas que chancelavam as cédulas antes de 1953, certamente este é um mistério que ainda irá permanecer em nossas mentes por muito tempo. Mas a partir de 1953 as personalidades já podem ser identificadas e estudadas.



Utilize as chancelas desta postagem para que você possa identificar as cédulas do seu acervo e facilite a catalogação de sua coleção por meio delas. As chancelas também poderão ajudar na precificação de cada peça.

MICRO CHANCELAS - De 1943 a 1994, dos Cruzeiros aos Cruzeiros Reais.







Postar um comentário

4 Comentários

  1. https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2407392829481010&id=100006309487548

    👆Nesse link tem uns estudos e observações que realizei sobre variações não catalogadas em micro chancelas.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Bruno Diniz. Há algum tempo, os autógrafos presentes nas cédulas de réis e cruzeiros despertaram a minha atenção. Aceitei o desafio de tentar identificar (ainda que parcialmente) as pessoas que autografaram as cédulas. Os resultados foram publicados nos boletins nº 71 e 73 da Sociedade Numismática Paranaense. O trabalho não está concluído, já que, para as cédulas de cruzeiro, o desafio é ainda maior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo,
      Seria um prazer poder repostar seu artigo em nosso site. Caso queira, entre em contato conosco via e-mail diniznumismatica@gmail.com Teremos um imenso prazer em poder informar nossos leitores com um artigo tão interessante.

      Excluir