VOCÊ SABIA! - Que os seus R$ 100 podem valer mais de R$ 4 mil?



O Real vem consolidando sua trajetória no meio circulante nacional e ganhando força e aceitação da comunidade internacional, mas para ficar ainda melhor, as moedas e cédulas do padrão monetário vigente no Brasil, tem conquistado algumas pessoas pela paixão em colecionar as moedas do padrão. No Real, há cédulas e notas que valem muito mais do que o valor nominal de cada cédula. Atualmente há notas de R$ 100 que podem ser vendidas por até R$ 4,4 mil para outros numismatas ou notafilistas. Mas aviso que não é qualquer cédula que poderá alcançar tal valor. Muitas são as variedades de detalhes que devem ser analisados antes que possamos cravar o valor de uma peça.

Alguns notafilistas estão dispostos a pagar mais de R$ 4 mil por cédulas de R$ 100 emitidas em 1994, assinadas pelo então ministro da Fazenda Rubens Ricupero e pelo presidente do Banco Central da época, Pedro Malan, sem manchas ou amassados, naquilo que chamamos de “Flor de Estampa”, estado de conservação superior encontrado em cédulas não circuladas.

A tiragem de uma determinada peça está diretamente ligada à sua raridade futura. Quanto menos notas forem emitidas, mais a peça poderá valer no mercado. Isso é algo que todos os colecionadores, numismatas e notafilistas amadores ou profissionais devem saber. É o básico da cartilha colecionista em qualquer segmento.

Nas cédulas de um modo geral, temos ministros que ficaram pouco tempo no cargo, notas assinadas por eles tendem a valer muito mais.


E AS MOEDAS? Nossa postagem é sobre cédulas, mas não iremos deixar você desinformado. No caso das moedas, aquelas que chamamos e classificamos como “flor de cunho”(estado perfeito e superior, sem marcas de circulação), podem alcançar valores interessantes como a moeda dos 50 anos da declaração universal dos direitos humanos e a moeda da bandeira olímpica. Foram moedas de circulação comum, mas que por sua baixa tiragem alcançaram valores diferenciados no mercado.





Para mim, não há potencial valorização em um curto prazo para a moeda comemorativa recém-lançada (1 Real Beija-Flor).  A moeda, mesmo sendo uma edição limitada, conta com uma tiragem de 25 milhões de peças. Considerado um numero elevado de peças que serão colocadas em circulação. Ela será como as moedas de Juscelino Kubitschek (2002), dos 40 anos do Banco Central (2005) e dos 50 anos do Banco Central (2015). Estas moedas tiveram uma emissão muito elevada. As duas primeiras contam com 50 milhões e 40 milhões de unidades cada a última contou com mais de 48 milhões de peças cunhadas. Atualmente, para terem algum valor, as moedas devem conter detalhes específicos, tais como, reverso invertido, reverso horizontal ou outro detalhe ou erro em seu cunho.


Uma dica importante! Sempre observe as moedas e cédulas que passam em suas mãos algum dia elas poderão valer algo além do seu valor facial.

Postar um comentário

0 Comentários