NUMISMÁTICA CONTRA O RACISMO - Somos parte de algo muito maior!



Não se trata de branco ou preto, esquerda e direita ou Deus ou diabo! Meu artigo de hoje fala sobre respeito. Em pleno século XXI a questão do racismo ainda é um ponto forte em discussões por todo o mundo. Os últimos acontecimentos nos mostram o quanto ainda temos que percorrer para que possamos gerar uma nova linhagem de pessoas que respeitam o próximo sem a influência ideológica das danosas barreiras impostas pelo homem branco e o seu culto pela cor.  O decreto que aboliu a escravidão foi o início do trajeto contra o racismo que ainda hoje vêm sendo percorrido. No Brasil, o regime de escravidão vigorou desde os primeiros anos logo após o descobrimento até o dia 13 de maio de 1888, quando a princesa regente Isabel assinou a Lei 3.353, mais conhecida como Lei Áurea, libertando os escravos.

SÓ POSSO FALAR SOBRE - Não tenho autoridade para falar “de” racismo, pois aquele que não é preto somente poderá falar “sobre” o racismo. Não posso imaginar a dor e nem mesmo a frustração dos meus amigos que sofrem com o racismo todos os dias. Meu artigo de hoje parecerá meio polemico tendo como base minha formação religiosa, mas o racismo no Brasil anda de mãos dadas com a intolerância aos cultos dos povos de origem africana. Darei meu passo na direção do amor e da tolerância.

Hoje vou falar sobre a importância das moedas no contexto de algumas religiões africanas espalhadas pelo Brasil. Para algumas religiões as moedas significam energia, axé, movimento e circulação de magia, seja boa ou ruim. Para estes, as moedas mais antigas (período colonial brasileiro) são mais especiais, por supostamente carregarem a energia de tempos áureos, pioneirismo e ancestralidade. Elas possuem um valor intrínseco na Magia.

FALANDO EM MOEDAS - Na Quimbanda as moedas possuem um uso destacado. Simbolicamente, relíquias, joias, antiguidades, moedas e cédulas representam o conhecimento e sabedoria transmutada no que os praticantes destas religiões chamam de axé. Outro aspecto é a composição material das moedas antigas, que geralmente é um fator desconhecido para os religiosos. Estas relíquias apresentam uma composição muito variada, desde o aço, bronze, níquel, cobre, estanho, prata e ouro, entre outros. 

Moeda de 20 Réis - 1735

Nestas religiões estes materiais juntamente com a história da peça, promovem uma busca dos praticantes para expandir o seu axé através dos diferentes metais. Sendo assim, moedas não são objetos unicamente de colecionadores e numismatas! Muito embora, muitas peças raras podem fazer parte de acervos religiosos, uma vez que quanto mais antiga a peça, maior a importância para estas religiões africanas. Seria correto afirmar que estas religiões centenárias estabelecidas em nosso país ter sob sua tutela uma boa parte das peças de grande importância e raridade da numismática nacional.


RESPEITO - É preciso respeitar o próximo para que possamos cobrar respeito. As moedas contam histórias fabulosas sobre o homem e sua trajetória sobre a terra. Tolere a religião do seu irmão, não alimente o racismo em seu coração. Eu creio que somos filhos do mesmo Deus, mesmo com tantas diferenças de cores e traços. Somos parte de algo único! Estamos deixando tudo isso de lado para promover a dor e o caos. Repensem sobre tudo que estão fazendo sejam brancos, pretos, amarelos ou vermelhos.



Banner de parceria entre Diniz Numismática e Collectgram

Postar um comentário

0 Comentários