DINHEIRO FANTASMA – Conheça a Hell Bank Note, o dinheiro do “Banco do Inferno”.


Antes que me julguem ou me chamar de herege, seria bom fazer a leitura de todo o texto e entender do que se trata!

Hoje, no mundo moderno, essas tradições praticamente desapareceram, sobretudo no mundo cristão e islâmico, mas ainda persiste em algumas civilizações asiáticas de influência chinesa.

Uma cultura muito similar é frequente na China, no Vietnã e países vizinhos, o uso do “dinheiro fantasma”, notas geralmente feitas com papel de bambu, ou papel de arroz, que cumprem a função de substituir dinheiro verdadeiro em uma suposta transição para o além. Isso mesmo! Eles acreditam que os mortos podem gastar um pouquinho lá do outro lado.





Acredita-se que as notas ao serem queimadas como oferenda aos mortos, serviriam para comprar coisas em uma suposta vida após a morte. Além das notas, também são queimados objetos de papel, como maços de tabaco ou até casas e barcos.

A queima das notas não obedece a um tipo de ritual padrão e nem possui um local fixo, praticando-se muitas vezes à porta das casas e no meio da rua.



O dinheiro fantasma é conhecido pela decoração elaborada e os valores absurdamente altos. Muitas vezes ostentam a assinatura do “Imperador de Jade”, o governador supremo do reino celeste, e o símbolo do “Banco do Inferno”, sendo que o termo inferno para esta cultura não tem a mesma conotação do que seria o inferno para os cristãos.

Banner de parceria entre Diniz Numismática e Collectgram

Postar um comentário

0 Comentários