VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA – A deusa Nike cunhada em moedas.

 

Olhando minhas moedas italianas percebi a presença de uma deusa grega conhecida como Vitória de Samotrácia, também conhecida como Nice de Samotrácia, que reproduzida em escultura que representa o que em grego podemos chamar de Νίκη, Níkē, Niké (Níkē tes Samothrakes) ou simplesmente "Vitória", além de ter emprestado seu nome a gigante Nike (Empresa produtora de equipamentos esportivos).

O escultor é desconhecido, provavelmente rodiano, acredita-se que a estátua foi confeccionada entre 220 e 190 a.C.. Quando sua descoberta em 1863, acreditou-se que seu patrocinador teria sido o general e rei Demétrio I da Macedónia, chamado Poliórcetes, após sua vitória em Chipre entre 295 e 289 a.C., mas evidências encontradas em novas escavações mostram que o pedestal foi erguido provavelmente perto do ano 200 a.C. e provavelmente para comemorar uma vitória naval em Rhodes. As semelhanças com figuras e drapeados da vestimenta de esculturas do Altar de Pérgamo (c.170 a.C.) são fortes indícios de sua origem.

A ESCADARIA DE DARÚ - A Vitória foi descoberta pelo consul e arqueólogo amador francês Charles Champoiseau em abril de 1863, nas ruínas do Santuário dos grandes deuses de Samotrácia. Champoiseau a enviou para Paris no mesmo ano. A suposta divindade grega fazia parte de uma fonte, com a forma de proa de embarcação, em pedra calcária, doada ao santuário provavelmente pela cidade de Rodes. Em novas escavações, Champoiseau, alguns anos depois, descobriu esta mesma proa da embarcação. Em 1948 foi descoberta a mão elevada em saudação, que encaixou em um outro fragmento de dedo existente em Viena, a reunião de todas as partes possibilitou a moderna reconstrução, que repousa no Louvre.


Mesmo estando incompleta, a estátua é considerada uma das grandes esculturas sobreviventes do período helenístico. A estátua remonta um período em que observamos a delicadeza dos traços esculturais da civilização grega, mesmo em estrutura maciça, as linhas deslizam suavemente como se estivessem cortando o vento. Há mestria na forma e movimento, impressionando críticos e artistas desde sua descoberta. É particularmente admirada por seu naturalismo e pela fina realização dos drapeados. É considerado um dos grandes tesouros do Louvre.

EM MOEDAS - A estátua é também um ícone cultural explorado por outros artistas em vários contextos, inclusive, em representações na numismática desde a antiguidade. Esta peça, trazida por nós, não se trata de uma raridade grega, mas uma simples moeda de 1 Lira, datada de 1924,  e um desses belíssimos exemplos que remontam a história. Abaixo algumas moedas alusivas ao tema na antiguidade e um breve relato sobre nossa moeda contemporânea e suas características.

 

Moeda antiga grega que traz Nike, a deusa da vitória, para os jogos olímpicos antigos.

Tetradracma da dinastia deinomenide: cavaleiro sobre uma quadriga, acima, a deusa Nike voando para coroar os cavalos.

Alexandre III ‘o Grande’ – 336-323 a.C. AV Stater (8,60 gr). Casa da Moeda de Byblos. Cunhada por volta no período de 330-320 a.C. Cabeça de Athena voltada à direita, portando elmo Ático decorado com serpente, pingente e colar / deusa Nike (deusa grega da vitória) em pé, segurando coroa de flores na mão direita estendida; Monograma AP no campo à esquerda.

1 Lira 1924

Estado de conservação: MBC

Nº de Catálogo: KM# 62

Peso: 8(gr)

Diâmetro: 26.8(mm)

Período: Rei Vittorio Emanuele III (1900 - 1946)

Material: Níquel

País: Itália

Continente: Europa

Valor de mercado para o estado: R$ 25,00

ANVERSO - Figura feminina sentada drapeada voltada para a esquerda; segurando uma pequena estátua representativa da vitória alada na mão esquerda abaixada, e um ramo de oliveira na mão direita estendida. Letras divididas por algarismo, data abaixo da linha do exercício. À direita da coluna, o nome do autor e do gravador. ITALIA, 1924, G.ROMAGNOLI, A.MOTTI.INC (Gravadores: Giuseppe Romagnoli, Attilio Motti).

REVERSO - Valor em duas linhas, com escudo Savoy coroado à esquerda. Letra monetária abaixo. Tudo em um círculo de ramos de louro. BVONO, DA L.1, R

Observem que neste artigo abordamos somente uma das alegorias desta belíssima peça cunhada em 1924. A história contada por essa moeda vai muito além da deusa Vitória de Samotrácia ou Nike, ela remonta períodos determinados por arte, governo, cultura social e muitas outras opções de estudo e pesquisa. A numismática só irá lhe contar uma história se você estiver disposto a pesquisá-la.

Crédito das imagens

- Jafet Numismática

- Bentes Art & Publishings

- Acervo Diniz Numismática


Banner de parceria entre Diniz Numismática e Collectgram

Postar um comentário

0 Comentários