A numismática é muito rica em áreas que podem ser exploradas e estudadas por aqueles que querem contribuir para o crescimento desta ciência no Brasil, mas quando falamos em estudos, falamos de pessoas responsáveis por cada informação oferecida ao meio numismático. Infelizmente, temos que alertar nossa comunidade sobre as famigeradas falsificações e réplicas maliciosas que visam ludibriar colecionadores iniciantes e até mesmo profissionais. Muitos falsários estão aproveitando a bolha do real e em torno do nicho especifico que versa sobre as moedas anômalas para avançar com a prática criminosa em moedas que não estão mais em circulação. Tecnicamente, uma moeda circulada em 1896 e que por motivos óbvios não está mais em circulação, poderá ser alvo de falsificação e em tese, não gerará ônus jurídico aos falsários, uma vez que, nossa ciência não possui regulamentação legal para nos preservar destas ações criminosas, e mais além, o “crime” só ocorre ou é configurado, quando o falsário tenta se aventurar com moedas ainda em circulação.

A SNB em outubro de 2020 emitiu um alerta aos colecionadores tendo como foco as moedas falsas. A entidade divulgou algumas imagens de moedas falsificadas, adulteradas e replicadas para que possamos ter mais cuidado. Estas moedas apresentam bases verdadeiras, mas com cunhos falsos batidos em cima, erros de cunhagem e carimbos falsos e carimbos fantasia pessimamente replicados também estão aparecendo no mercado.

Como colecionador, estudioso e preservacionista da ciência numismática, recomendo aos colecionadores a importância em conhecer os mais confiáveis vendedores e anunciantes do mercado, também é preciso pesquisar a peça e sua carga histórica, pesquisar estudos sobre uma determinada peça antes de comprar, pois você poderá ser o próximo ludibriado pela crescente e desenfreada aparição de perfis “Fulano Numismática” que tomam as redes sociais para desinformar, enganar e praticar crimes.

Não seja enganado com réplicas e falsificações. Procure conteúdos sérios e informativos.

As imagens abaixo são exemplos de peças falsificadas ou réplicas divulgadas pela SNB em seu perfil na grande rede.




























































Banner de parceria entre Diniz Numismática e Collectgram