Teorias conspiratórias sempre são levantadas quando voltamos nossos olhares para os Estados Unidos da América. O dinâmico e bem sucedido país está sempre na mira daqueles que estudam ordens secretas como os Iluminattis, de outros que creem que a área 51 é de fato um local existente e que investiga os fatos estranhos, bem como os sons vindos do céu. Não podemos como numismatas e notafilistas, deixar de comentar sobre os que acreditam que algumas catástrofes foram previstas e de alguma forma escondidas em notas de dólar.

Os que acreditam nessas teorias dizem que ao realizar algumas dobraduras com as cédulas de dólar as previsões aparecem diante de nós. Dessa forma, com grande imaginação, essa parcela de pessoas consegui supostamente visualizar os ataques terroristas realizados nos Estados Unidos em 11 de setembro de 2001.

O site Foldmoney deu muito crédito aos supostos “estudiosos”, trazendo de forma detalhada imagens que nos mostram essas dobraduras trágicas. Cada nota conta com uma revelação do passo a passo desta tragédia que abalou o mundo, entretanto, a nota de US$ 20 é que traz o maior número de informações intrigantes – a começar, segundo os “conspiracionistas”, pelo fato de que a soma de 9 + 11 (dia e mês dos ataques) dá 20.

As outras cédulas de dólar também não escapam das conspirações encontradas pelo site Foldmoney. Todas elas trazem supostamente alguma informação ou evento ocorrido durante a tragédia. Se você é um colecionador certamente ficará distante de uma prática como essa, lhe bastando somente as imagens apresentadas em nosso site. Tenho certeza que estragar ou vandalizar uma cédula da coleção está fora de cogitação. 

A nota de US$ 10 traz uma “imagem” das Torres Gêmeas em chamas (é preciso ver a dobradura de ponta-cabeça);

Já a de US$ 50 apresenta os dois prédios no momento em que entraram em colapso e acabaram desabando;



Por fim, a de US$ 100 mostra o que seria a fumaça dos incêndios sobre a cidade de Nova York:



Banner de parceria entre Diniz Numismática e Collectgram