Uma matéria divulgada em um grande site de notícias, trouxe a informação de como ganhar dinheiro vendendo moedas "valiosas e raras" do Brasil. A matéria exemplifica o tema fazendo a alegação de que uma moeda dos tempos do Império, cunhada em 1822, teria rendido ao seu detentor uma quantia de US$ 500 mil (dólares) em um leilão realizado em 2014, sendo a moeda brasileira mais cara da história já vendida ao mercado de colecionadores. A venda aconteceu de fato, e a informação é totalmente verdadeira e procedente. Mas a coisa não é tão simples e a esperança deixada nas linhas escritas pela rede de notícias não informa a parte dura da realidade Numismática. Moedas raras não são encontradas em qualquer lugar e por isso possuem a nomenclatura "rara". Ao contrário da matéria divulgada, não é possível que aquele níquel no fundo da gaveta, tenha valor tão elevado e possa ser vendido para colecionadores. Em 99% dos casos trata-se somente de mais uma moeda comum esquecida no fundo da gaveta e que teria muito mais utilidade sendo recolocada no meio circulante. 

Vale lembrar que milhões de moedas comuns foram esquecidas pelos brasileiros em baús, latas e gavetas, fazendo com que as "antiguidade" deixada pelos antepassados não signifiquem uma chancela para a raridade, e aproveitando o gancho, nem mesmo as moedas comemorativas do real podem ser consideradas uma raridade. Devemos lembrar que as mais procuradas do padrão monetário atual são no máximo consideradas escassas por colecionadores e estudiosos sérios.

AQUELE 1% QUE VALE MUITO DINHEIRO - Agora temos o mais complicado de toda a matéria veiculada, pois o canal de notícias muito bem munido de informações, sabe que 1% das moedas que já circularam podem ser de fato raras e alcançar um elevado valor de mercado, então, vem o melhor do texto. O canal de notícias inicia a indicação que leva as plataformas que gentilmente são lembradas pela ligação com uma famosa instituição. Mas o artigo que promete te livrar do buraco financeiro não te conta que os comerciantes compram barato para vender por mais que o dobro do preço pago, também não contam que as castas que tomam conta de algumas instituições de colecionadores são especialistas em fazer dinheiro com pessoas como você. Quer uma dica? Fique longe dessas pessoas e procure os estudiosos independentes que avaliam as peças com a ética de não fazer uma oferta na peça alvo da avaliação.

COMO NÃO SER ENGANADO PELOS LOBOS DA NUMISMÁTICA - Para não ser enganado por esse tipo de informação, deixo claro que o primeiro passo não é fazer uma uma avaliação sobre o valor da moeda, mas estudar mais sobre o tema. Não considero pertinente procurar uma loja especializada, virtual ou física, ou até casas de leilão numismático para saber o valor de uma peça, mas saber o que é necessário através da boa informação divulgada na web por sites sérios e independentes feitos por estudiosos da área e por aqueles que não são comerciantes. Novamente afirmo! Um avaliador imparcial te ajudará a saber o valor da moeda lhe indicando materiais de estudo e não fazendo uma oferta na peça em questão. Essa é a atitude de alguém que não é comerciante e que possui ética em suas ações. Existem comerciantes sérios na Numismática, mas até mesmo estes precisam de uma margem para lucrar. Evite os atravessadores e os oportunistas.

O artigo é tendencioso ao introduzir a expectativa de ganho imediato de dinheiro por meio da venda de moedas "raras". O canal dá a cartada final apontando um suposto norte aos curiosos e detentores das possíveis raridades, mas infelizmente eu não irei postar aqui os nomes e indicações feitas pelo canal. Infelizmente o poste ainda não pode fazer suas necessidades no cachorro, por hora!

A DICA PARA VENDER EM MARKTPLACES, PARA OBTER UMA AVALIAÇÃO ISENTA DE INTERESSES E VENDA DIRETA ENTRE PESSOAS FÍSICAS.

MARKETPLACES

- Procure plataformas que possuem rigor na verificação documental do comprador e do vendedor. 

- Procure plataformas que conseguem igualar o tratamento entre vendedores e compradores, pois você poderá um dia vender e no outro comprar. 

- A segurança no recebimento do produto, na garantia do pagamento e no tratamento das informações confidências devem ser observadas.  

- Veja as avaliações dos vendedores e procure informações sobre as plataformas utilizadas.

AVALIADORES

- Não venda para quem avalia, pois poderá haver um conflito de interesses.

- Procure por avaliadores que oferecem ajuda de forma gratuita, desapegada e ética. Estes não farão ofertas pela peça avaliada. E  sim, eles existem!

VENDA DIRETA

- Procure negociar pessoalmente.

- Negocie com pessoas recomendadas.

- Nunca envie sem antes ter recebido o pagamento pela peça negociada.

- Não venda em feiras, encontros ou eventos de colecionadores.